Esse primeiro post musical vai para uma das melhores bandas que rolam atualmente, Kings of Leon.

Banda formada pelos 3 irmãos Caleb, Nathan e Jared junto com o primo Matthew. Todos da família Followill, do sul dos Estados Unidos (o sotaque é bem puxado na conversa do último vídeo). Estouraram em 2008/9 com o álbum Only By The Night e seu primeiro lançamento foi o EP Holy Roller Novocaine, em fevereiro de 2003.

Meus amigos falam que os melhores álbuns são os primeiros, principalmente o Youth & Young Manhood, mas eu prefiro o Only By The Night. Ambos os discos são maravilhosos, mas cada um com suas características específicas.

O Y&YM (agosto de 2003) é aquele que sai da linha e mostra quem são os integrantes e quais são as suas raízes, com músicas como “Red Morning Light”, “Molly’s Chambers”, “California Waiting”, “Trani” e “Talihina Sky”. Poderia citar o álbum inteiro, ele é realmente muito bom, mas ainda assim prefiro o quarto lançamento da banda.

O Only By The Night (setembro de 2008) tem outra pegada, melhor tecnicamente (especialmente na bateria com Nathan Followill), melhor produzido. O que é foco de críticas é a mudança das temáticas, antes mais interioranas-sulistas americanas, para algo mais mainstream. Na minha opinião isso não prejudica o álbum, que foi o maior êxito da banda, tanto comercial quanto de crítica. As principais músicas são “Use Somebody”, “Sex On Fire”, “Notion”, “Closer”, “Revelry”. Novamente, poderia citar todas as músicas, mas essas devem passar a mensagem a vocês.

Saindo um pouco da polêmica interna, temos o Aha Shake Heartbreak, que traz “Four Kicks”, “The Bucket”, “King of the Rodeo”, entre outras músicas que vêm pra reforçar a identidade da banda. Com Caleb mostrando outras facetas de sua voz singular (é só ouvir pra ver como é diferente) e a nítida evolução de Nathan.

No terceiro álbum, Because Of The Times, começamos a ver que os ânimos estão menos exaltados. O KoL ainda tem uma pegada autoral, mas está mais próximo dos ditos padrões musicais do mercado. Mas isso também não tira o brilho do trabalho, que é muito bom também. Abrindo com “Knocked Up” e fechando com chave de ouro em “Arizona”. Entre as duas, temos os expoentes “On Call”, “McFearless” e “Black Thumbnail”, depois “My Party” e “Fans”. É o álbum que menos gosto, mas ainda assim é tem várias músicas boas.

E pra fechar, temos o quinto álbum, Come Around Sundown, com uma vibe meio “casa de madeira na praia sulista”. Curto praticamente todas as canções, só depende do momento em que você está para apreciar cada minuto. “Pyro” é talvez a melhor do álbum, atrás dela vêm “Birthday”, “Mary”, “The End”, “The Immortals”. Esse álbum não conseguiu superar o Only By The Night, quem sabe no futuro.

Interessante que os álbuns têm títulos e capas que nos fazem sentir realmente a pegada daquela obra.

A discografia principal do Kings of Leon é:
Youth & Young Manhood (2003)
Aha Shake Heartbreak (2004)
Because Of The Times (2007)
Only By The Night (2008)
Come Around Sundown (2010)

 

Algumas músicas do Youth & Young Manhood e do Only By The Night pra fechar com o post com chave de ouro (procurem outras, que realmente vale a pena):

Post filed under Música.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *